sexta-feira, 22 de abril de 2011

Direitos humanos, educação e interculturalidade: as tensões entre igualdade e diferença


Atualmente, estamos tendo a consciência de vivenciar mudanças profundas que ainda não somos capazes de compreender. Para alguns intelectuais estamos vivendo não somente mudanças significativas aceleradas e sim, uma mudança de época em virtude disso suscitam debates acalorados e em muitas áreas da ciência dedicam-se a analisar essa problemática.

Neste contexto, algumas questões centrais se destacam, exemplo disso é a problemática da igualdade e dos direitos humanos, num mundo marcado pela globalização (economia) neoliberal e excludente e as questões da diferença e do multiculturalismo em tempos de mundialização (fenomeno social total que permeia o conjunto das manifestações culturais) com pretensões monoculturais. Pela 1ª vez nos relatórios anuais publicados da PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), intitulado "liberdade cultural num mundo diversificado", que associa explicitamente as questões relativas ao desenvolvimento às culturas. As pessoas estão se mobilizando de novo em torno de velhas injustiças segundo linhas etnicas, religiosas, raciais e culturais, exigindo que sua identidade seja reconhecida, apreciada e aceita pela sociedade mais ampla. Muitas vezes o que exigem é justiça social e mais voz política... E importam-se em saber se seus filhos viverão em uma sociedade diversificada ou numa sociedade em que se espera que todas as pessoas se conformem com uma única hegemonia dominante. E isto vem se estreitando substituindo a problemática dos direitos humanos, muitas vezes entendido como direitos exclusivamente individuais e fundamentalmente civis e políticos, amplia-se e, afirmar-se cada vez mais a importancia dos direitos coletivos, culturais e ambientais e ainda vai se mais longe quando se afirma que a questão dos direitos humanos fica em tal questão que precisa ser resignificada, sendo estes uma construção da modernidade, estão profundamente impregnados com os processos, valores e afirmações propostas pela mesma. Para muitos estamos imersos numa crise multifacetada chamada pós-modernidade.

Matriz da questão:
De uma maneira um pouco simplificada, toda matriz da modernidade enfatizou a questão da igualdade, presente hoje no debate entre igualdade e diferença. Igualdade de todos os seres humanos, esta é a chave para se entender toda luta da modernidade pelos direitos humanos.

No entanto, hoje o centro do interesse não é negar a igualdade, mas se coloca muito mais em evidencia o tema diferença.
Somos todos iguais ou diferentes? antigamente nossas lutas tinham como referencia a afirmação da igualdade, atualmente a questão da diferença assume especial importancia e transforma-se num direito, não só o direito dos diferentes a serem iguais, mas o direito de afirmar a diferença. Não se trata de afirmar ou negar os polos, mas de articula-los para que um nos remeta ao outro.


Ø
Referencia Bibliografica: CANDAU, Vera Maria. Direitos Humanos, educação e interculturalidade: as tensões entre igualdade e diferença. Revista Brasileira de Educação. v. 13, n. 37,jan-abr, 2008, pp. 45-56.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário